Vamos lá ser inteligentes

Este post vem na sequência do anterior. O tema é, ainda, a elasticidade-preço da curva da procura. Sim, é um tema exótico da microeconomia, mas tenham paciência e vão ver como ainda podemos poupar uns euros ao fim do mês, isto se formos todos inteligentes. Como? Continue a ler para saber como.

A figura seguinte representa duas curvas da procura, sendo a que passa pelos pontos A e C mais elástica em relação ao preço do que a que passa pelos pontos A e B. O que é que isso quer dizer? Quer dizer que se o preço de um determinado bem ou serviço aumentar uma determinada percentagem a partir do ponto A, então quanto mais elástica for a procura em relação ao preço, maior será a quebra na quantidade procurada. Pela Lei da Procura sabemos que (mantendo todas as outras variáveis que não o preço inalteradas) há uma relação negativa entre o preço do próprio bem ou serviço e a quantidade que é procurada pelo mesmo.

Ora por que razão estou eu agora a perder o vosso tempo com isto? E agora vem o momento aha! Simplesmente porque os comerciantes, as empresas e os produtores estão continuamente a fazer experiências com o preço dos seus produtos, precisamente para poder caracterizar a curva da procura que enfrentam, e para saber se estão perante uma curva da procura mais ou menos elástica em relação ao preço. Se concluírem que estão perante uma procura muito inelástica (pouco elástica, como a que perpassa os pontos A e B) então sabem que a quantidade procurada cairá pouco em resposta a um aumento do preço. Logo, sabendo que a sua receita é preço vezes quantidade, se aumentarem o preço em 10% por exemplo a partir do ponto A, a quantidade procurada cairá menos que 10%, e a receita deles aumentará.

Por outro lado, se já estiverem num ponto da procura onde aumentando o preço em 10% a quantidade total procurada cair mais de 10% então não vale a pena aumentar o preço porque nesse caso veriam a sua receita cair.

E o que é que eu tenho a ver com isso? Tudo! O “Vamos lá ser inteligentes” que serve de título a este post destina-se a incentivar todos os que lêem este blog a induzir uma quebra muita grande na quantidade procurada em resposta a um aumento de preço, para que os produtores / empresas / comerciantes pensem que estão perante uma curva da procura muito elástica. Isso evitará que aumentem o preço …

Por isso, da próxima vez que vir que o preço das suas bolachas de chocolate favoritas aumentou 10% de uma semana para a outra, sejam fortes (e inteligentes) e NÃO as comprem. Vão ver que na semana seguinte, quase de certeza, já voltaram ao preço inicial.

Vamos lá ser inteligentes … 🙂

Advertisements

Sobre Pedro G. Rodrigues

Professor no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa, doutorado em economia pela Universidade Nova de Lisboa. Email: pgr.economist@gmail.com
Esta entrada foi publicada em Miscelâneo com as etiquetas , . ligação permanente.

2 respostas a Vamos lá ser inteligentes

  1. Jorge Bravo diz:

    Blog, magnifico de simplicidade e didáctica, a opção preferencial pela microeconomia é de louvar, parabéns.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s