A austeridade não falhou, mas dói que se farta

BarbarianFonte: The Economist (KAL’s cartoon).

Neste artigo interessante do economista Daniel Gros, director do think-tank CEPS, sediado em Bruxelas, ele argumenta que a austeridade torna um Estado mais solvente no longo prazo, mesmo que o rácio da dívida pública no PIB aumente no curto prazo. Diz ainda que “Economists like to point out that solvency has little to do with the ratio of public debt to today’s GDP, and much to do with debt relative to expected future tax revenues. A government’s solvency thus depends much more on long-term growth prospects than on the current debt/GDP ratio”.

Vale a pena ler o artigo na íntegra e pensar bem nisto. 🙂

Sobre Pedro G. Rodrigues

Investigador integrado no Centro de Administração e Políticas Públicas (CAPP) e Professor Auxiliar do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, Universidade de Lisboa. Doutorado em economia pela Universidade Nova de Lisboa. Email: pedro.g.rodrigues@campus.ul.pt
Esta entrada foi publicada em Austeridade, Crescimento económico, Crise. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.