Uma espécie de confisco …

ratos

Como eu adoro trabalhar para a Ministra das Finanças: remuneração de Dezembro tributada a 49,29%. Isto em termos de taxa média de imposto. E em termos de taxa marginal? Vamos ver um exemplo: uma colaboração interna de 800EUR brutos rende-me quanto, quanto? Menos de 300 euros. E depois querem que as pessoas queiram trabalhar … Acrescente-se aos 49,29% uma taxa média de imposto sobre o consumo de 20% e por cada 100 euros de rendimento ficamos com 40. Porreiro pá! Isto em termos de taxa efectiva ou média. E em termos de taxa marginal? 29 euros.

Que país é este onde onde a taxa média de imposto sobre o rendimento do trabalho é de quase 50%, e onde a taxa marginal se aproxima dos dois terços (!) antes de levar em conta o IVA? Será o trabalho tão tóxico para a economia e para a sociedade que devemos tributá-lo assim?

É caso para dizer: Queres trabalhar ó meu malandro? Aqui não. Pensas que isto é um país desenvolvido ou quê?

Sobre Pedro G. Rodrigues

Investigador integrado no Centro de Administração e Políticas Públicas (CAPP) e Professor Auxiliar do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, Universidade de Lisboa. Doutorado em economia pela Universidade Nova de Lisboa. Email: pedro.g.rodrigues@campus.ul.pt
Esta entrada foi publicada em Austeridade. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.