O Orçamento do Estado num minuto

Como o tempo e a paciência são cada vez mais escassos para ler documentos de mais de 200 páginas, decidi criar uma nuvem das palavras mais usadas no Relatório do Orçamento do Estado para 2015. Quer o Relatório, quer a Proposta de Lei estão disponíveis aqui.

rel

Conclusões baseadas apenas na nuvem: No OE domina a despesa social, a carga fiscal continua muito elevada (vejam o tamanho das palavras ‘taxa’ e ‘imposto’, há incerteza quanto ao futuro (vejam como ‘estimativa’ e ‘riscos’ aparecem várias vezes), o estímulo à economia dá-se pela via das empresas e privilegiando ligeiramente mais o investimento do que a criação de emprego (a palavra ‘desemprego’ é pequena), e finalmente, apesar de muito se falar em recursos, a reforma do Estado é algo que não parece existir.

Advertisements

Sobre Pedro G. Rodrigues

Professor no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa, doutorado em economia pela Universidade Nova de Lisboa. Email: pgr.economist@gmail.com
Esta entrada foi publicada em Orçamento do Estado. ligação permanente.

Uma resposta a O Orçamento do Estado num minuto

  1. Ana Paula diz:

    E o único incentivo para o desagravamento do desemprego é continuar a alimentar o emprego precário, ie, a dar subsídios às empresas para contratação de jovens com menos de 30 anos através de estágios que acabam ao fim de 12 meses,( os desempregados mais velhos não têm hipótese alguma de conseguirem reentrar no mercado de trabalho) em vez de criarem politicas de incremento à economia e ao investimento.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s