Crude mais barato é bom ou mau?

crude2016

Fonte: Barchart.com

Possíveis explicações para um aparente paradoxo: por que é que as bolsas estão a acompanhar a queda do preço do crude? Como entender a correlação positiva?

Pelo menos desde as crises petrolíferas dos anos 70 que estamos habituados a pensar que um aumento do preço do barril de crude é um acontecimento potencialmente recessivo. A lógica é que um agravamento do preço da energia (um input na produção e um bem de consumo com poucos substitutos) acaba por reduzir o rendimento disponível.

Como então explicar que, com uma queda de mais do que 70% no preço do barril de crude nos últimos 24 meses (que se deve ao aumento do volume mundial de crude exportado com a entrada do Iraque, do Irão e até da China), apesar do aumento do rendimento disponível das famílias e uma maior folga financeira para as empresas (em particular as de transporte), as bolsas têm também caído?

 Algumas possíveis explicações:

  1. A queda do preço do crude tem sido tão rápida que os investidores ficaram com medo, e começaram a liquidar as suas posições, em busca de activos refúgio como o ouro.
  1. A posição orçamental dos países exportadores de petróleo degradou-se de tal forma que os Sovereign Wealth Funds entraram em liquidação (repatriação de petrodólares). Poderão seguir-se descidas de ratings.
  1. Um dólar forte aperta as economias dos mercados emergentes que se endividaram em USD e faz cair o preço de quase todas as commodities.
  1. O colapso do preço do crude poderá estar a despoletar uma espiral deflacionista, que se reflecte numa quebra bolsista, afectando em particular as empresas mais endividadas.
  1. Muitos produtores de petróleo estão muito alavancados porque nunca pensavam que o preço da matéria-prima que vendem pudesse descer tanto e tão rapidamente, e poderão assim entrar em falência ou serem obrigados a reduzir o seu endividamento excessivo. O mercado pode estar a subavaliar o impacto deste choque sobre os balanços dos bancos.

Sobre Pedro G. Rodrigues

Professor no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa, doutorado em economia pela Universidade Nova de Lisboa. Email: pgr.economist@gmail.com
Esta entrada foi publicada em Crise, Mercados financeiros. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s