COVID-19 – Dicas

Se está fechado em casa por causa do Corona/COVID-19, aqui vão algumas dicas, para além das óbvias como 1) lavar bem as mãos com sabão e água morna durante pelo menos 20 segundos (lembre-se também de desinfetar com álcool pelo menos uma vez por dia os seus gadgets), 2) tossir ou espirrar para o cotovelo (e não cumprimentar as pessoas com o cotovelo, por razões óbvias), e 3) saber os sintomas para os quais deve estar em alerta: febre (se ainda não tem um termómetro que funciona, vá à farmácia ou parafarmácia comprar um), dor de garganta, tosse seca e dificuldade em respirar.

A) Sistema imuninário (as nossas defesas): mantenha-se saudável. Como? i) Apanhe pelo menos 30′ de sol (vitamina D) por dia. Somos um país abençoado nesse sentido. Coloque-se à janela e apanhe a sua dose. ii) Tenha uma fonte de vitamina C e um spray para a garganta para quando aparecerem os primeiros sintomas (Nota: Segundo os profissionais que combateram o COVID-19 em Wuhan, na China, os anti-inflamatórios como o ibuprofeno [Brufen, etc.] pioram a situação do doente [Nota acrescentada às 21:31 – A DG Saúde esclarece que o Brufen não potencia o COVID-19.]). iii) Faça uma dieta mediterrânica rica em cor (esmague um dente de alho, deixe-o repousar e acrescente-o à sua refeição). iv) Obtenha zinco a partir ou da carne vermelha ou do chocolate negro (está a ver como nem tudo é mau?). v) Procure dormir de forma repousada pelo menos 8 horas por dia (escurecer o quarto, baixar a temperatura do mesmo e não ver nem o telemóvel nem o tablet antes de dormir ajuda, dizem os especialistas). vi) Mexa-se! Faça algum tipo de exercício físico: arrume a casa, lave a roupa, etc.

B) Enrobusteça-se psicologicamente (a psique também é importante): i) se tem acesso a um computador/PC faça download de um protetor de ecrã (screensaver) com algo verde (parque, floresta, jardim, etc.). ii) Vá ao Youtube ver clips de comédia (há muitos!). iii) Pense positivo! Não seja como uma avestruz que se recusa a ver a realidade, mas pense que daqui a uns meses estaremos livres disto tudo, deitados ao sol na praia. iv) Ajude o próximo – seja mais paciente com todos.

C) Ocupe-se (desenvolva uma rotina): i) Teletrabalho, se puder (reorganize a sua vida – vai perceber que o COVID-19 para além de uma ameaça é uma oportunidade para vivermos melhor – de forma mais eficiente, tirando melhor proveito do recurso mais importante que temos: o nosso tempo). ii) Aposte na sua formação (aprenda algo de novo e desenvolva as suas competências). iii) Deixe-se de partilhar vídeos idiotas / fake news nas redes sociais (lembre-se que o objetivo é ajudar o próximo e não ser mais um carangeijo num balde com outros carangueijos que quando um tenta sair, aparecem logo mais uns tantos a puxá-lo para baixo). iv) É empreendedor? Tem uma ideia? Aproveite este tempo de isolamento para a desenvolver. Quem sabe se não sai disto tudo uma nova Google, ou Tesla, ou ainda melhor … v) Leia alguns daqueles livros que comprou em 1995 e que ainda nem sequer abriu. vi) Cante! Quem canta, seus males espanta!

E é isto que tenho para vos oferecer. Manter a calma, acima de tudo. Já vencemos inimigos mais traiçoeiros que o COVID-19 e desta vez não será diferente. Várias coisas boas sairão disto: o ambiente agradece (mesmo que seja só temporariamente), o preço das casas vai cair, e as desigualdades deixarão de ser tão pronunciadas. Agora é mudarmos os nossos comportamentos de forma mais permanente e sermos mais eficientes com os recursos que temos. Cuidado com a obesidade (largue essa fatia de pizza e vá fazer uns abdominais!). Preserve a sua sanidade mental. Com método e disciplina sairemos disto.

PS (post scriptum) – Não são só os profissionais de sáude, os cientistas, o pessoal de segurança, os agentes políticos (quando se entendem para melhorar a vida aos Portugueses), os funcionários dos supermercados e da grande distribuição, quem nos limpa as ruas e quem nos atende na farmácia que devem ser homenageados neste difícil momento que atravessamos. Deixo aqui também uma palavra de agradecimento e de apreço pelos jornalistas que se arriscam para nos informar e que têm feito um excelente trabalho de serviço público. Mostremos esse apreço subscrevendo a um jornal ou revista. Um setor como este é fundamental e não pode definhar.

Sobre Pedro G. Rodrigues

Investigador integrado no Centro de Administração e Políticas Públicas (CAPP) e Professor Auxiliar do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, Universidade de Lisboa. Doutorado em economia pela Universidade Nova de Lisboa. Email: pedro.g.rodrigues@campus.ul.pt
Esta entrada foi publicada em Miscelâneo. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.